Servidores do TCE-MS são imunizados contra a gripe

Por Tania Sother 08/05/2019 - 11:28 hs
Foto: Foto: Mary Vasques

Trezentos e vinte um servidores do Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul receberam a dose da vacina quadrivalente cepas 2019 contra a gripe. A imunização foi realizada ainda no outono para que, com a chegada do inverno quando acontecem mais casos da doença, os servidores já estejam protegidos. A proteção deve ser repetida anualmente em função da mudança que a vacina sofre por conta da mutação do vírus.

A enfermeira responsável pelo setor médico do TCE-MS, Tatiana Bazan, explica que “não é que a pessoa vai deixar de ter gripe durante todo o ano, mas, com certeza, não vai ser acometido pelas formas mais graves da doença”. Ela acrescenta que o TCE trabalha preventivamente na promoção da saúde do servidor. “É muito importante essa vacinação para o bom andamento do trabalho no Tribunal de Contas. Se o servidor está doente e traz o vírus para o ambiente de trabalho pode acontecer um surto e prejudicar a rotina do TCE. Da mesma forma ele pode levar o vírus daqui, onde ele tem contato com muitas pessoas, para a família dele também”.


A campanha de vacinação do Governo Federal contempla gratuitamente pessoas com 60 anos ou mais de idade; as puérperas (mulheres até 45 dias após o parto); os trabalhadores de saúde; os povos indígenas; os portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais; e, os professores de escolas públicas e particulares; as crianças de 6 meses a menores de 6 anos (5 anos, 11 meses e 29 dias); as gestantes; e, os policiais civis, militares, bombeiros e membros ativos das Forças Armadas. A campanha deve levar 58 milhões de pessoas aos postos de vacinação em todo o país, entre os dias 10 de abril e 31 de maio.

Uma parceria do Tribunal com uma clínica particular de Campo Grande possibilitou também a vacinação dos dependentes diretos do servidor ( cônjuges e filhos) com um valor diferenciado. É importante ressaltar que a vacina não provoca a gripe já que é produzida com vírus mortos, incapazes de causar a doença.