27 de fevereiro de 2024
Bem-estarSaúde Mental

Psicologia Histórico-Cultural: Explorando suas raízes e comparando com outras abordagens terapêuticas

A psicologia é um campo vasto e multifacetado, compreendendo uma variedade de abordagens terapêuticas que visam compreender e tratar os problemas psicológicos humanos.

Entre essas abordagens, destaca-se a Psicologia Histórico-Cultural (PHC), uma perspectiva única e profunda que explora a interação entre os indivíduos e o contexto cultural e histórico em que estão inseridos.

Com o crescimento dos casos de ansiedade e depressão, muitas pessoas estão buscando a PHC como uma maneira de enfrentar criticamente seus sofrimentos psicológicos com raízes sócio-culturais.

Você sabe o que é a Psicologia Histórico-Cultural? Está em dúvida se essa terapia é adequada para você? Vamos explorar mais sobre essa abordagem e compará-la com outras terapias populares.

A Psicologia Histórico-Cultural: raízes e fundamentos

“A Psicologia Histórico-Cultural, desenvolvida por Lev Vygotsky e seus seguidores, Alexei Leontiev e Alexander Luria, enfoca a influência das relações sociais, da cultura e da história na formação dos indivíduos”, explica Raphael Pequeno, psicólogo dessa abordagem. “A mente humana não pode ser compreendida isoladamente, já que altera e é alterada em suas atividades e trabalhos, ficando em uma relação constante com o ambiente em que vive”, conclui o profissional.

Essa abordagem enfatiza a importância das ferramentas psicológicas e culturais, como a linguagem, na formação do pensamento e do desenvolvimento cognitivo.

Além disso, a abordagem traz outro conceito desenvolvido por Vygotsky que revolucionou a maneira de se entender a consciência. “A ideia de funções psicológicas superiores consiste na compreensão de que as capacidades mentais complexas desenvolvidas pelos indivíduos ocorrem por meio da interação com seu ambiente sociocultural”, explica Raphael.

Ou seja, de acordo com o psicólogo bielorrusso, essas funções não são inatas, mas emergem durante o processo de desenvolvimento em contextos sociais e culturais específicos.

Quem são os profissionais da Psicologia Histórico-Cultural

Ao contrário da Psicanálise, corrente à qual a PHC se tornou crítica, o profissional deve ser formado em psicologia para aplicar essa abordagem em sua clínica. Após os 5 anos de formação em psicologia, o profissional pode realizar cursos livres, cursos de extensão ou até mesmo uma pós-graduação na área.

Para atuar na clínica, o psicólogo deve ter um cadastro ativo no Conselho Regional de Psicologia (CRP), de acordo com a região em que exercerá seu trabalho.

Psicologia Marxista?

A relação entre a Psicologia Histórico-Cultural e a dialética marxista é fundamental e profunda. A Psicologia Histórico-Cultural foi fortemente influenciada pelas ideias da dialética marxista, e essa influência é visível em seus princípios fundamentais e em sua abordagem ao estudo do desenvolvimento humano.

A dialética marxista é uma parte central do pensamento de Karl Marx e Friedrich Engels, que propõe uma análise crítica das relações sociais, da economia e da história. A dialética marxista é baseada na ideia de que a mudança e o desenvolvimento ocorrem através de contradições e conflitos dentro da sociedade.

Ela enfatiza a importância do contexto histórico e das estruturas sociais na formação do pensamento humano e nas relações entre os indivíduos e a sociedade. Assim, essa abordagem pode ser vista como uma aplicação prática da dialética marxista ao estudo da psicologia e do desenvolvimento humano.

Comparando com outras abordagens terapêuticas

Apesar de estar se popularizando no Brasil e na América Latina, graças ao empenho de núcleos de pesquisa acadêmica nessas áreas, a abordagem Histórico-Cultural continua desconhecida por grande parte da população, quando comparada a outras abordagens psicoterapêuticas.

Confira abaixo as principais diferenças entre a PHC e outras linhas clínicas da psicologia.

PHC x Psicanálise

Enquanto a psicanálise de Freud tem seu enfoque sobre o inconsciente, analisando em profundidade os desejos reprimidos, a Psicologia Histórico-Cultural leva em consideração questões referentes aos ambientes sociais e culturais como peças centrais no desenvolvimento psicológico.

Ambas reconhecem a influência do passado, mas a ênfase difere na Psicologia Histórico-Cultural, onde a cultura desempenha um papel mais ativo.

PHC x Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC)

A TCC concentra-se nas cognições e comportamentos individuais, procurando identificar e modificar padrões negativos. Em contraste, a Psicologia Histórico-Cultural olha para as interações sociais, a linguagem e as estruturas culturais como determinantes do desenvolvimento.

Enquanto a TCC visa mudanças individuais, a abordagem histórico-cultural busca compreender as mudanças socioculturais.

PHC x Abordagens Humanistas

As abordagens humanistas, como a terapia centrada na pessoa de Carl Rogers, valorizam a autorrealização e a busca de significado. A Psicologia Histórico-Cultural aborda esses temas ao considerar como a cultura molda os valores e objetivos individuais, mas ela também destaca a influência do contexto histórico e das relações sociais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *